Segunda-feira, 14 de Março de 2011

Qual é o país ???

 

 

 

Falta-nos a coragem de FALAR ASSIM!!!

 

SR PRESIDENTE OUÇA,TAMBÉM,por que também é responsável pela situação actual do país!!!!

 

 

Lisboa 14 de MARÇO de 2011

 

Fonseca dos Santos

 

 

Afinal ,ontem OUVI o SÒCRATES e devodizer que MONOPOLIZA a entrevista ,ou seja ,quer dar por menores dos seus pontos de vista ,mas NÃO

responde às perguntas colocadas pelo entrevistador...

Uma delas ,que NÃO RESPONDEU foi por que é que não deu conhecimento dos factos que se iriam discutir no estrangeiro...

 

Mas um outro assunto que faz MÊDO aos portugueses é INVIABILIZAR este PEC...mais um dos pecados do Sócrates...Não esqueço que até

o Mário Soares já disse na entrevista à TSF que o PM tem feito muitas asneiras...

 

PÔRRA !!!E por que é que continua no govêrno e a continuar fazer-se insubstituivel...Mas o LOBIES ,se houver novas eleições vão reeleg^-lo.

 

Nenhum governante fala em:

1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três Presidentes da República retirados;

2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode;

3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego;

4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.

5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros?s e não são verificados como podem ser auditados?

6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821, etc...;

7. Redução drástica das Juntas de Freguesia.. Acabar com o pagamento de 200€ ? por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75, ? nas Juntas de Freguesia.

8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas actividades;

9. Acabar com a distribuição de carros a, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País; Manter apenas os dos Presidentes;

10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, os filhos das amantes...

11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado e entes públicos menores, mas maiores nos dispêndios públicos;

12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc;

13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes que vivem em tugúrios inabitáveis....

14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES, QUE NÃO NOS DÁ COISA PÚBLICA....;

15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder...

16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar;

17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.

18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP;

19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.

20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma recebe todos os anos.

21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões ao erário público.

22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a quadros do Partido Único (PS + PSD).

23. Assim e desta forma Sr. Ministro das Finanças recuperaremos depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado;

24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP, que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço que "entendem"...;

25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa dos dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efectivamente dela precisam;

26. Controlar a actividade bancária por forma a que, daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise";

27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;

28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos.

29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e depois.

30. Pôr os Bancos a pagar impostos.
                                                                     O QUE NEM O SÒCRATES RESPONDEM NEM QUALQUER OUTRO POLITICO E O PEC TEM QUE COMEÇAR POR AQUI::::

 



Ao "povo", pede-se o reencaminhamento deste e-mail. 

 

 

publicado por blogdaportugalidade às 20:46
link | comentar | favorito

AÍ ESTÁ A REVOLUÇÃO....

Aí está ela... anda no ar e vai descer à terra... já cheira...a Revolução???

 

 Há cerca de 3 ou 4 meses começaram a dar-se alterações profundas, e de nível global, em 10 dos principais factores que sustentam a sociedade actual. Num processo rápido e radical, que resultará em algo novo, diferente e porventura traumático, com resultados visíveis dentro de 6 a 12 meses... E que irá mudar as nossas sociedades e a nossa forma de vida nos próximos 15 ou 25 anos!

... tal como ocorreu noutros períodos da história recente: no status político-industrial saído da Europa do pós-guerra, nas alterações induzidas pelo Vietname/ Woodstock/ Maio de 68 (além e aquém Atlântico), ou na crise do petróleo de 73.

Façamos um rápido balanço da mudança, e do que está a acontecer aos tais "10 factores":

1º- A Crise Financeira Mundial : desde há 8 meses que o Sistema Financeiro Mundial está à beira do colapso (leia-se "bancarrota") e só se tem aguentado porque os 4 grandes Bancos Centrais mundiais - a FED, o BCE, o Banco do Japão e o Tesouro Britânico - têm injectado (eufemismo que quer dizer: "emprestado virtualmente à taxa zero") montantes astronómicos e inimagináveis no Sistema Bancário Mundial, sem o qual este já teria ruído como um castelo de cartas. Ainda ninguém sabe o que virá, ou como irá acabar esta história !...

2º- A Crise do Petróleo : Desde há 6 meses que o petróleo entrou na espiral de preços. Não há a mínima ideia/teoria de como irá terminar. Duas coisas são porém claras: primeiro, o petróleo jamais voltará aos níveis de 2007 (ou seja, a alta de preço é adquirida e definitiva, devido à visão estratégica da China e da Índia que o compram e amealham!) e começarão rapidamente a fazer sentir-se os efeitos dos custos de energia, de transportes, de serviços. Por exemplo, quem utiliza frequentemente o avião, assistiu há 2 semanas a uma subida no preço dos bilhetes de... 50% (leu bem: cinquenta por cento). É escusado referir as enormes implicações sociais deste factor: basta lembrar que por exemplo toda a indústria de férias e turismo de massas para as classes médias (que, por exemplo, em Portugal ou Espanha representa 15% do PIB) irá virtualmente desaparecer em 12 meses! Acabaram as viagens de avião baratas (...e as férias  massivas!), a inflação controlada, etc...

3º- A Contracção da Mobilidade : fortemente afectados pelos preços do petróleo, os transportes de mercadorias irão sofrer contracção profunda e as trocas físicas comerciais (que sempre implicam transporte) irão sofrer fortíssima retracção, com as óbvias consequências nas indústrias a montante e na interpenetração económica mundial.

4º- A Imigração : a Europa absorveu nos últimos 4 anos cerca de 40 milhões de imigrantes, que buscam melhores condições de vida e formação, num movimento incessante e anacrónico (os imigrantes são precisos para fazer os trabalhos não rentáveis, mas mudam radicalmente a composição social de países-chave como a Alemanha, a Espanha, a Inglaterra ou a Itália). Este movimento irá previsivelmente manter-se nos próximos 5 ou 6 anos! A Europa terá em breve mais de 85 milhões de imigrantes que lutarão pelo poder e melhor estatuto sócio-económico (até agora, vivemos nós em ascensão e com direitos à custa das matérias-primas e da pobreza deles)!

5º- A Destruição da Classe Média : quem tem oportunidade de circular um pouco pela Europa apercebe-se que o movimento de destruição das classes médias (que julgávamos estar apenas a acontecer em Portugal e à custa deste governo) está de facto a "varrer" o Velho Continente! Em Espanha, na Holanda, na Inglaterra ou mesmo em França os problemas das classes médias são comuns e (descontados alguns matizes e diferente gradação) as pessoas estão endividadas, a perder rendimentos, a perder força social e capacidade de intervenção.

6º- A Europa Morreu : embora ainda estejam projectar o cerimonial do enterro, todos os Euro-Políticos perceberam que a Europa moribunda já não tem projecto, já não tem razão de ser, que já não tem liderança e que já não consegue definir quaisquer objectivos num "caldo" de 27 países com poucos ou nenhuns traços comuns!... Já nenhum Cidadão Europeu acredita na "Europa", nem dela espera coisa importante para a sua vida ou o seu futuro! O "Requiem" pela Europa e dos "seus valores" foi chão que deu uvas: deu-se há dias na Irlanda!

7º- A China ao assalto! Contou-me um profissional do sector: a construção naval ao nível mundial comunicou aos interessados a incapacidade em satisfazer entregas de barcos nos próximos 2 anos, porque TODOS os estaleiros navais do Mundo têm TODA a sua capacidade de construção ocupada por encomendas de navios.... da China. O gigante asiático vai agora "atacar" o coração da Indústria europeia e americana (até aqui foi just a joke...). Foram apresentados há dias no mais importante Salão Automóvel mundial os novos carros chineses. Desenhados por notáveis gabinetes europeus e americanos, Giuggiaro e Pininfarina incluídos, os novos carros chineses são soberbos, réplicas perfeitas de BMWs e de Mercedes (eu já os vi!) e vão chegar à Europa entre os 8.000 e os 19.000 euros! E quando falamos de Indústria Automóvel ou Aeroespacial europeia...helás! Estamos a falar de centenas de milhar de postos de trabalhos e do maior motor económico,  financeiro e tecnológico da nossa sociedade. À beira desta ameaça, a crise do têxtil foi uma brincadeira de crianças! (Os chineses estão estrategicamente em todos os cantos do mundo a escoar todo o tipo de produtos da China, que está a qualificá-los cada vez mais).

8º- A Crise do Edifício Social : As sociedades ocidentais terminaram com o paradigma da sociedade baseada na célula familiar! As pessoas já não se casam, as famílias tradicionais desfazem-se a um ritmo alucinante, as novas gerações não querem laços de projecto comum, os jovens não querem compromissos, dificultando a criação de um espírito de estratégias e actuação comum...

9º- O Ressurgir da Rússia/Índia : para os menos atentos: a Rússia e a Índia estão a evoluir tecnológica, social e economicamente a uma velocidade estonteante! Com fortes lideranças e ambições estratégicas, em 5 anos ultrapassarão a Alemanha!

10º- A Revolução Tecnológica : nos últimos meses o salto dado pela revolução tecnológica (incluindo a biotecnologia, a energia, as comunicações, a nano tecnologia e a integração tecnológica) suplantou tudo o previsto e processou-se a um ritmo 9 vezes superior à média dos últimos 5 anos!

Eis pois, a Revolução!

Tal como numa conta de multiplicar, estes dez factores estão ligados por um sinal de "vezes" e, no fim, têm um sinal de "igual". Mas o resultado é ainda desconhecido e... imprevisível. Uma coisa é certa: as nossas vidas vão mudar radicalmente nos próximos 12 meses e as mudanças marcar-nos-ão (permanecerão) nos próximos 10 ou 20 anos, forçando-nos a ter carreiras profissionais instáveis, com muito menos promoções e apoios financeiros, a ter estilos de vida mais modestos, recreativos e ecológicos.

Espera-nos o Novo! Como em todas as Revoluções!

Um conselho final: é importante estar aberto e dentro do Novo, visionando e desfrutando das suas potencialidades! Da Revolução! Ir em frente! Sem medo!

Afinal, depois de cada Revolução, o Mundo sempre mudou para melhor!...

publicado por blogdaportugalidade às 01:18
link | comentar | favorito
Domingo, 13 de Março de 2011

FIM DA UNIÃO EUROPEIA...FIM DA CIVILIZAÇÃO EUROPEIA...

 

 

 

 

 

 

O que chateia é que é mesmo verdade

 
  Vale a pena ler o que ninguem quer acreditar mas que todos vamos
sofrer na pele!
 
  Entrevista de um professor chinês de economia,  sobre a Europa,o
Prof. - que viveu em França:
 
   1. A sociedade europeia está em vias de se auto-destruir. O seu modelo
   social é muito exigente em meios financeiros. Mas, ao mesmo tempo, os
   europeus não querem trabalhar. Só três coisas lhes interessam:
   lazer/entretenimento, ecologia e futebol na TV!
    Vivem, portanto, bem acima dos seus meios,porque é preciso pagar estes
   sonhos de miúdos...
 
  2. Os seus industriais deslocalizam-se porque não estão disponíveis para
   suportar o custo de trabalho na Europa, os seus impostos e taxas para
   financiar a sua assistência generalizada.
 
   3. Portanto endividam-se, vivem a crédito. Mas os seus filhos não poderão
   pagar 'a conta'.
 
  4. Os europeus destruíram, assim, a sua qualidade de vida empobrecendo.
   Votam orçamentos sempre deficitários. Estão asfixiados pela dívida e não
   poderão honrá-la.
 
  5. Mas, para além de se endividar, têm outro vício: os seus governos
   'sangram' os contribuintes. A Europa detém o recorde mundial da pressão
   fiscal. É um verdadeiro 'inferno fiscal' para aqueles que criam riqueza.
 
  6. Não compreenderam que não se produz riqueza dividindo e partilhando mas
   sim trabalhando. Porque quanto mais se reparte esta riqueza limitada
menos
   há para cada um. Aqueles que produzem e criam empregos são punidos por
   impostos e taxas e aqueles que não trabalham são encorajados por ajudas.
É
   uma inversão de valores.
 
  7. Portanto o seu sistema é perverso e vai implodir por esgotamento e
   sufocação.  A deslocalização da sua capacidade produtiva provoca o
   abaixamento do seu nível de vida e o aumento do... da China!
 
   8. Dentro de uma ou duas gerações 'nós' (os chineses) iremos
ultrapassá-los.
   Eles tornar-se-ão os nossos pobres. Dar-lhes-emos sacas de arroz...
 
  9. Existe um outro cancro na Europa: existem funcionários a mais, um
emprego
   em cada cinco. Estes funcionários são sedentos de dinheiro público, são
de
   uma grande ineficácia, querem trabalhar o menos possível e apesar das
   inúmeras vantagens e direitos sociais, estão muitas vezes em greve. Mas
os
   decisores acham que vale mais um funcionário ineficaz do que um
   desempregado...
 
  10. Vão (os europeus) direitos a um muro e a alta velocidade...
 
  NOTA: É possível ver a versão original do "Prof. Chinês" a falar
   através do link abaixo:
 
  Lisboa,13 de Março de 2011
 
Por Fonseca dos Santos
publicado por blogdaportugalidade às 18:49
link | comentar | favorito

UM RETRATO DO PORTUGAL DE HOJE....ORTOFOTOGRAFIA

NO SÁBADO passado dia  05 de MARÇo ,às 11h30 foi registada uma carta com aviso de recepção ,e via aérea,com destino a FRANÇA...

Coisa normal seria levar dois dias ,pois há aviões  todos os dias para França ,PARIS,para onde se destinava a carta...

Começamos a estar preocupados ,pois 5ª,6ª feirA AINDA nãO tinha chegado...

telefona para aqui ,para ali ,não sabiam do destino e então lá reclamamos e temos um processo em curso....Fomos entretanto vendo o destino do registo...e então passou-se assim

A carta ficou no CTT do Aeroporto ,sábado,domingo ,segunda e terça e seguiu para a CENTRAL na passada 4ª feira .Até ao momento anida não recebemos o aviso de recepção assinado e de devolução: HOJE ,DOMINGO dia 13 de MARÇO....

Isto é a negeligência dos Serviços Públicos nacionais...Se fôr preciso tenho o número do processo...

 

Outro exemplo da inoperacionalidade nacional...

Desde há mais de 30 anos,não contando com os anos que andei pelo Ultramar,sempre dei o passeio pelo paredão Estoril Cascais e agora vejo que

ao largo de Cascais se encontram 6 ,8 navios ao fim de semana que poderão ser para descarregar ou carregar...Mas como é sábado e domingo ou

6ª feira depois das 17H00 ,já não se trabalha os navios ficam na costa ,para não estarem a pagar taxas de porto que devem ser das mais caras

da EUROPA...Isto sempre foi assim...

 

Recordo-me que trabalhava com o Sr Coronel João Salgueiro Pinto Ribeiro e ,com conhecimento de causa,dizia-me que ficava mais caro vir o ferro da india-GÔA- do que fretar navios holandeses...E era verdade...Por isso não me admira nada os tempos de hoje.

 

Ainda quanto ao assunto da carta acima referido,faz-me lembrar o que havia antigamente com a PIDE e os CTT..O correi de alguns cidadãos

passava todo pela PIDE que o abria com o sistema de vapôr e nós a pensarmos ...que enfim vinha direitinho ...das namoradas...

Por isso não foi coisa que não me assaltasse a memória,pois com este regime politico tudo pode acontecer...,pois ainda há dias o último plano

inclinado ,da SIC,não foi transmitido e depois alegaram que foi desavenças entre Mário Crêspo e Medina Carreira...

 

Mas há muitas e muitas e qundo chega a corrupção ,então é que os processos não andam ,ou andam muito devagar devagarinho para esquecer

e coodenar os factos.

 

Há dias fiz queixa ao Sr Procurador Geral da República de que resultou a queixa 241 .Como os papeis eram muitos,resolvi ir entregar à Procuradoria Geral da República,ali prós lados do RATO ,...Engano meu Tinha que ser entregue no DIAP,no FORUM e lá fui ao FORUM-EXPO 98.

 

Dois dias depois telefona-me um funcionário,devia ser novinho,pela voz,que me disse que o processo iria ser enviado para Setúbal,onde existe

o problema e lá foi de facto para o Ministério Público...Decorridos dias ,fui a Setúbal,pois sendo eu um dos queixosos ,não tivesse sido ouvido.

Diz -me então o funcionário judicial,depois de consultar milhentos papeis.. O.SR não recebeu nada ????.Não ...Então eu notifico-o---E lá me notificou: Tirou uma cópia de notificação do computador e impressora e lá assinei que o processo tinha sido ARQUIVADO...

Mais ,voltei a entregar uma contestação ao despacho do arquivamento e um REQUERIMENTO  a solicitar um # atendimento#...Lá saiu o rREQUERIMENTO como se fôsse para um MINISTRO que também é pago por nós,com os nossos impostos...

ESPERO ainda despacho...

 

Mas PASMEM!!!

No fim de contas ,resume-se no seguinte:

A Câmara Municipal de Setúbal ,plenário,rejeitou  em sessão ,um tipo de contracto, de norma de contracto e estudos para uma área que no ACTUAL PDM é ainda terreno agricola...E decorridos dias assinaram um contracto com um socateiro do sítio .Quem é que assinou o contracto???Um vereador e a Presidente...

Um dia fomos visitar o terreno e deparamos com a alienação de 500m2 de terreno e mais um caminho vicinal e ainda marcos topográficos arrancados...

Lá tivemos que arranjar um advogado que só para suspender as obras e colocar uma acção no tribunal ,já foram gastos pela minha mulher

8.500 €UROS ( oito mil e quinhentos Euros)...

 

Mas a história não vai ficar por aqui....,pois se quiser queixar-me ddo ministério público de Setúbal,terei de me queixar ao Procurador Coordenador que ,neste caso,é em ÉVORA...

 

Com isto tudo VEJAM COMO VAI A LEI E A ORDEM NESTE PAÍS E SE OFERECE CONFIANÇA A QUEM ainda anda por cá...

 

 

Lisboa,13 de Março de 2011

 

Fonseca dos Santos

publicado por blogdaportugalidade às 16:28
link | comentar | favorito
Sábado, 12 de Março de 2011

OH TRISTE PRESIDENTE E PRESIDENTE TRISTE...Mas há quem se ria da LUTA

Parece impossivel não haver uma troca de impressões entre o Primeiro Ministro e o Presidente da República àcerca das medidas a tomar para reforçar as

já postas em prática...

Afinal ,Sr Presidente o Tal Sócrates diz que são medidas da GOVERNAÇÃO e nisso o Sr não " mete Bedelho"...Sr Presidente ,é triste estar assim a governarem PORTUGAL.O Sr Presidente sabe que está a ser mal governado,o Sr que sabe que a classe média que sustentava o país DESAPARECEU...e, agora, vai continuar a ver o país em evoluções e certamente em Revoluções constantes...deixando continuar o Govêrno a fazer o que lhe apetece???

ISTO NÃO PODE CONTINUAR ASSIM...

OLHE SR Presidente da nossa República ,se houvesse um " lugarsito" acima do Presidente  desta República ,e eu estivesse nesse lugar, DEMITIA OS DOIS...
O SR ,sabendo que tem o seu pôvo em apuros autenticos e para sair desses apuros são necessários várias aptidões que verifico que os dois não as tem para conseguir levar PORTUGAL a BOM PORTO...

 

É triste ,muito triste, ter, assim, saído govêrnos e pResidente de um pôvo imbecilizado e inapto para enfrentar este desafio que temos à nossa espera...

 

Por que esperam??? Uma Guerra civil?? Uma REVOLUÇÃO???UM NOVO ABRIL????

Ainda devem gozar com a atitude tomada pelas gerações à RASCA...ainda por cima devem-se rir ...até um dia ,qual' ???

 

Vamos ver o que irá acontecer!!!Para já até se riem da LUTA !!!

 

Fonseca dos Santos

 

Lisboa em 12 de Março de 2011

Financial Times noticia "Geração à Rasca" num país que enfrenta a segunda recessão em três anos

 

O protesto “Geração à Rasca” é noticiado no Financial Times com uma entrevista a uma jovem portuguesa e tomando como inspiração, pelo menos parcialmente, as revoltas populares no Norte de África.

“Chamam-se a si próprios a geração à rasca – diplomados universitários com idades entre os 21 e os 30 anos que estão desesperados por começar uma carreira, ganhar um salário fixo e abandonar a casa dos pais”, escreve o correspondente do Financial Times em Lisboa.

“O único trabalho que conseguimos é experiência de trabalho”, diz a jovem de 29 anos entrevistada pelo jornal britânico.

O FT diz que milhares de jovens saem hoje à rua inspirados, em parte, pelas revoltas no Norte de Árica.

A organização foi feita através do Facebook e até às 14:00 de hoje, mais de 65.000 pessoas disseram que iam comparecer nas iniciativas marcadas para várias cidades, entre as quais Lisboa e Porto.

O jornal diz que enquanto o Governo de Lisboa reforça medidas de austeridade, com o anúncio de um novo pacote na sexta-feira, o irreverente movimento de protesto despertou um país que enfrenta a segunda recessão em três anos, atingindo uma dimensão surpreendente e dominando o debate público.

“As lutas de jovens na Tunísia, no Egito e na Líbia ajudaram-nos a abrir os olhos”, diz a jovem entrevistada pelo FT, uma das líderes do protesto no Porto.

A jovem frisa que os manifestantes não estão a tentar provocar uma revolução, apenas querem ter uma vida melhor.

@Lusa

 

publicado por blogdaportugalidade às 18:56
link | comentar | favorito

OBRIGADOS À CORJA....

Poema de agradecimento à corja

Obrigado, excelências.
Obrigado por nos destruírem o sonho e a oportunidade
de vivermos felizes e em paz.
Obrigado
pelo exemplo que se esforçam em nos dar
de como é possível viver sem vergonha, sem respeito e sem
dignidade.
Obrigado por nos roubarem. Por não nos perguntarem nada.
Por não nos darem explicações.
Obrigado por se orgulharem de nos tirar
as coisas por que lutámos e às quais temos direito.
Obrigado por nos tirarem até o sono. E a tranquilidade. E a alegria.
Obrigado pelo cinzentismo, pela depressão, pelo desespero.
Obrigado pela vossa mediocridade.
E obrigado por aquilo que podem e não querem fazer.
Obrigado por tudo o que não sabem e fingem saber.
Obrigado por transformarem o nosso coração numa sala de espera.
Obrigado por fazerem de cada um dos nossos dias
um dia menos interessante que o anterior.
Obrigado por nos exigirem mais do que podemos dar.
Obrigado por nos darem em troca quase nada.
Obrigado por não disfarçarem a cobiça, a corrupção, a indignidade.
Pelo chocante imerecimento da vossa comodidade
e da vossa felicidade adquirida a qualquer preço.
E pelo vosso vergonhoso descaramento.
Obrigado por nos ensinarem tudo o que nunca deveremos querer,
o que nunca deveremos fazer, o que nunca deveremos aceitar.
Obrigado por serem o que são.
Obrigado por serem como são.
Para que não sejamos também assim.
E para que possamos reconhecer facilmente
quem temos de rejeitar.


Joaquim Pessoa
--------------------------------------------------- --------------------------------------------------- --------------------------------------------------- ---


Joaquim Pessoa nasceu no Barreiro em 1948.
Iniciou a sua carreira no Suplemento Literário Juvenil do Diário de Lisboa.
O primeiro livro de Joaquim Pessoa foi editado em 1975 e, até hoje, publicou mais de vinte obras incluindo duas antologias. Foram lhe atribuídos os prémios literários da Associação Portuguesa de Escritores e da Secretaria de Estado da Cultura (Prémio de Poesia de 1981), o Prémio de Literatura António Nobre e o Prémio Cidade de Almada.
Poeta, publicitário e pintor, é uma das vozes mais destacadas da poesia portuguesa do pós 25 de Abril, sendo considerado um "renovador" nesta área. O amor e a denúncia social são uma constante nas suas obras, e segundo David Mourão Ferreira, é um dos poetas progressistas de hoje mais naturalmente de capazes de comunicar com um vasto público.
Bibliografia: "O Pássaro no Espelho", "A Morte Absoluta", "Poemas de Perfil", "Amor Combate", "Canções de Ex cravo e Malviver", "Português Suave", "Os Olhos de Isa", "Os Dias da Serpente", "O Livro da Noite", "O Amor Infinito", "Fly", "Sonetos Perversos", "Os Herdeiros do Vento", "Caderno de Exorcismos", "Peixe Náufrago", "Mas.", "Por Outras Palavras", "À Mesa do Amor", "Vou me Embora de Mim".

publicado por blogdaportugalidade às 18:50
link | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Março de 2011

É triste LAMENTAR,mas cantar em momentos de aflição ,não me parece ser o mais indicado...

Segundo já li em 12 deste mês ,ou seja amanhã,irá desencadear-se, em várias cidades do país,concentrações de JOVENS pertencentes `" JUVENTUDE À RASCA" e teremos que apoiar esta JUVENTUDE e apelar para o BOM SENSO,pois como devem saber ,à boa maneira ditaturial,será acompanhada pela PSP e

SIS,será também filmada,etc ,etc e espero que ainda não tenho feito é "DETER" os cabecilhas destes movimentos...

 

DOU-LHES RAZÃO e até por que tenho uma neta com 27 anos ,com um curso ,e NUNCA TEVE UM EMPRÊGO ,em tão pouco NUNCA recebeu um centimo do DESEMPRÊGO...

 QUE vai ser desta gente  jovem daqui a 10 anos ?Que esperanças de futuro???

Não tenho dúvidas de que são necessários MOVIMENTOS para alertar os portugueses...Só vejo cortar,cortar e agora nos anos 12 e 13 vão cortar nas REFORMAS ,pois estas ainda iam sustentar desempregados ...

 

Mas vejam ,NINGUÉM OUVIU OS GOVERNANTES FALAREM DESTES ASSUNTOS!!!!SERÁ QUE QUEREM RESOLVER OS PROBLEMAS QUANDO NÃO TIVEREM SOLUÇÂO OU SERÁ MAIS DIFICIL RESOLVER E PODERÁ ,OUTRA VEZ,CAIRMOS NUMA DITADURA????

VOU TRANSCREVER O QUE NUNCA OUVIRAM FALAR AOS POLITICOS!!!!

A data marcada já está marcada. Mesmo que não possas ir, reencaminha.
12 de Março de 2011 - Um milhão de pessoas na Avenida da Liberdade pela demissão de toda a classe política
Este e-mail vai circular hoje e será lido por centenas de milhares de pessoas. A guerra contra a chulisse, está a começar. Não subestimem o povo que começa a ter conhecimento do que nos têm andado a fazer, do porquê de chegar ao ponto de ter de cortar na comida dos filhos!
Estamos de olhos bem abertos e dispostos a fazer -quase-tudo, para mudar o rumo deste abuso.
Todos os ''governantes'' [a saber, os que se governam...] de Portugal falam em cortes de despesas - mas não dizem quais - e aumentos de impostos a pagar.
Nenhum governante fala em:
1. Reduzir as mordomias (gabinetes, secretárias, adjuntos, assessores, suportes burocráticos respectivos, carros, motoristas, etc.) dos três Presidentes da República retirados;
2. Redução dos deputados da Assembleia da República e seus gabinetes, profissionalizando-os como nos países a sério. Reforma das mordomias na Assembleia da República, como almoços opíparos, com digestivos e outras libações, tudo à custa do pagode;
3. Acabar com centenas de Institutos Públicos e Fundações Públicas que não servem para nada e, têm funcionários e administradores com 2º e 3º emprego;
4. Acabar com as empresas Municipais, com Administradores a auferir milhares de euro/mês e que não servem para nada, antes, acumulam funções nos municípios, para aumentarem o bolo salarial respectivo.
5. Por exemplo as empresas de estacionamento não são verificadas porquê? E os aparelhos não são verificados porquê? É como um táxi, se uns têm de cumprir porque não cumprem os outros?s e não são verificados como podem ser auditados?
6. Redução drástica das Câmaras Municipais e Assembleias Municipais, numa reconversão mais feroz que a da Reforma do Mouzinho da Silveira, em 1821, etc...;
7. Redução drástica das Juntas de Freguesia.. Acabar com o pagamento de 200 euros por presença de cada pessoa nas reuniões das Câmaras e 75 euros nas Juntas de Freguesia.
8. Acabar com o Financiamento aos partidos, que devem viver da quotização dos seus associados e da imaginação que aos outros exigem, para conseguirem verbas para as suas actividades;
9. Acabar com a distribuição de carros a Presidentes, Assessores, etc, das Câmaras, Juntas, etc., que se deslocam em digressões particulares pelo País;
10. Acabar com os motoristas particulares 20 h/dia, com o agravamento das horas extraordinárias... para servir suas excelências, filhos e famílias e até, os filhos das amantes...
11. Acabar com a renovação sistemática de frotas de carros do Estado;
12. Colocar chapas de identificação em todos os carros do Estado. Não permitir de modo algum que carros oficiais façam serviço particular tal como levar e trazer familiares e filhos, às escolas, ir ao mercado a compras, etc;
13. Acabar com o vaivém semanal dos deputados dos Açores e Madeira e respectivas estadias em Lisboa em hotéis de cinco estrelas pagos pelos contribuintes
14. Controlar o pessoal da Função Pública (todos os funcionários pagos por nós) que nunca está no local de trabalho. Então em Lisboa é o regabofe total. HÁ QUADROS (directores gerais e outros) QUE, EM VEZ DE ESTAREM NO SERVIÇO PÚBLICO, PASSAM O TEMPO NOS SEUS ESCRITÓRIOS DE ADVOGADOS A CUIDAR DOS SEUS INTERESSES....;
15. Acabar com as administrações numerosíssimas de hospitais públicos que servem para garantir tachos aos apaniguados do poder - há hospitais de província com mais administradores que pessoal administrativo. Só o de PENAFIEL TEM SETE ADMINISTRADORES PRINCIPESCAMENTE PAGOS... pertencentes ás oligarquias locais do partido no poder...
16. Acabar com os milhares de pareceres jurídicos, caríssimos, pagos sempre aos mesmos escritórios que têm canais de comunicação fáceis com o Governo, no âmbito de um tráfico de influências que há que criminalizar, autuar, julgar e condenar;
17. Acabar com as várias reformas por pessoa, de entre o pessoal do Estado e entidades privadas, que passaram fugazmente pelo Estado.
18. Pedir o pagamento dos milhões dos empréstimos dos contribuintes ao BPN e BPP;
19. Perseguir os milhões desviados por Rendeiros, Loureiros e Quejandos, onde quer que estejam e por aí fora.
20. Acabar com os salários milionários da RTP e os milhões que a mesma recebe todos os anos.
21. Acabar com os lugares de amigos e de partidos na RTP que custam milhões ao erário público.
22. Acabar com os ordenados de milionários da TAP, com milhares de funcionários e empresas fantasmas que cobram milhares e que pertencem a quadros do Partido Único (PS + PSD).
23. Assim e desta forma Sr. Ministro das Finanças recuperaremos depressa a nossa posição e sobretudo, a credibilidade tão abalada pela corrupção que grassa e pelo desvario dos dinheiros do Estado ;
24. Acabar com o regabofe da pantomina das PPP (Parcerias Público Privadas), que mais não são do que formas habilidosas de uns poucos patifes se locupletarem com fortunas à custa dos papalvos dos contribuintes, fugindo ao controle seja de que organismo independente for e fazendo a "obra" pelo preço que "entendem"...;
25. Criminalizar, imediatamente, o enriquecimento ilícito, perseguindo, confiscando e punindo os biltres que fizeram fortunas e adquiriram patrimónios de forma indevida e à custa do País, manipulando e aumentando preços de empreitadas públicas, desviando dinheiros segundo esquemas pretensamente "legais", sem controlo, e vivendo à tripa forra à custa dos dinheiros que deveriam servir para o progresso do país e para a assistência aos que efectivamente dela precisam;
26. Controlar a actividade bancária por forma a que, daqui a mais uns anitos, não tenhamos que estar, novamente, a pagar "outra crise";
27. Não deixar um único malfeitor de colarinho branco impune, fazendo com que paguem efectivamente pelos seus crimes, adaptando o nosso sistema de justiça a padrões civilizados, onde as escutas VALEM e os crimes não prescrevem com leis à pressa, feitas à medida;
28. Impedir os que foram ministros de virem a ser gestores de empresas que tenham beneficiado de fundos públicos ou de adjudicações decididas pelos ditos.
29. Fazer um levantamento geral e minucioso de todos os que ocuparam cargos políticos, central e local, de forma a saber qual o seu património antes e depois.
30. Pôr os Bancos a pagar impostos.

31. Por os milhares de sindicalistas a trabalhar nos seus postos de trabalho.


Ao "povo", pede-se o reencaminhamento deste e-mail.

 



 




--

José Armando Pires Roque

Rua Heróis do Ultramar, 7

3750-150 Águeda

Portugal

piresroque@gmail.com 

 

 

 

publicado por blogdaportugalidade às 18:03
link | comentar | favorito
Quinta-feira, 10 de Março de 2011

UM " DIPLOMATA" RICO...NUM PAÍS POBRE...,mas que desbriu novos " mundos" ao mundo

OS EUA, FUGAS DE INFORMAÇÃO E MIGUEL SOUSA TAVARES

 

2/3/11

 

“Quem te manda a ti, sapateiro, tocar rabecão?

Adágio popular

 

            Noticiou (e comentou) o Expresso de 26/2, alguns telegramas do embaixador dos EUA, entre 2007 e 2009, enviados de Lisboa para o Departamento de Estado em Washington.

            Estas informações foram obtidas e difundidas pela Wikileaks após uma inaudita violação da segurança informática daquele órgão do governo americano. Esta violação levou ao maior roubo de documentação classificada da História, deixando os grandes golpes de espionagem da Guerra-fria, parecerem uma brincadeira de crianças. E deste facto o governo dos EUA só se pode queixar de si próprio.

            Queremos começar por dizer que o embaixador americano escreveu o que escreveu no âmbito das suas funções e tinha toda a legitimidade para o fazer. Tinha até o dever de informar os seus superiores daquilo que honestamente pensava.

            Se pensava bem ou mal é outra questão.

            O embaixador Thomas F. Stephenson, assim se chama o senhor, não era um embaixador de carreira. Nasceu em 1942, em Wienington, no Estado do Delaware, tendo-se formado em economia na Universidade de Harvard e tem um mestrado nessa disciplina pela Harvard Business School. Tem, ainda, uma formação em Direito.

            Fez toda a sua vida em empresas de tecnologia de segurança, de saúde e financeiras. Antes da sua nomeação para Lisboa, esteve 19 anos na firma “Sequóia Capital”, sita no Silicon Valley (Califórnia). É amigo do Presidente Bush (filho) e foi por esta via que veio passar uma temporada a Lisboa.

            Convém ter a noção que este tipo de nomeações é normal na administração americana e que os embaixadores de carreira constituem uma minoria. Estas funções são assim uma espécie de sinecura com que se agraciam amigos e pessoas que se tenham distinguido por algum motivo ou, simplesmente, por terem sido influentes durante a campanha eleitoral que levou um determinado candidato à Casa Branca.

            O que disse ou fez, então, o embaixador para causar sururú na imprensa ao mesmo tempo que era desvalorizada pelas autoridades portuguesas que, objectivamente, as ignoraram publicamente?

            Pois teceu uma série de considerações sobre as Forças Armadas Portuguesas (FAs), o Ministério da Defesa, a compra de armamento e de algumas personalidades.

            Aparentemente acertou no que disse sobre os então Ministro da Defesa, nem tanto sobre Secretário de Estado; a manutenção dos helicópteros EH-101 e no que afirmou sobre o MAI e a GNR.

            Está baralhado no que disse relativamente ao EMGFA/orçamentos/relações com os Ramos (convinha ter lido as leis e regulamentos existentes); tem alguma razão no que diz sobre a cultura do “status quo” e do carreirismo – embora denote que está longe de perceber o porquê das coisas – e está completamente enganado quanto aos adiamentos das decisões: não há incapacidade, existe é um desacordo militante a nível de chefias e um relacionamento político-militar desadequado (onde impera a ignorância, a desconfiança e até a deslealdade…). O exemplo que aponta da resposta do 2º comandante da Academia sobre um pedido da banda de música por parte da embaixada é risível e demonstra bem o grau de pesporrência atrevida do arvorado diplomata.

            Relativamente à cooperação com os PALOP é um facto que existe alguma desconfiança no MDN e no MNE relativamente à participação americana. Não duvido que seria útil alguma cooperação, não só porque os EUA dispõem de meios que nos faltam como poderiam servir de contraponto a outras potências, nomeadamente europeias, que nos fazem concorrência. Mas a desconfiança é legítima no sentido em que, onde os EUA entram querem mandar, ao passo que são de uma ignorância crassa sobre África e de uma inabilidade homérica em lidar com outros povos e culturas.

            Quanto ao resto o senhor embaixador acertou pouco, facto que até os jornalistas identificaram.

            Não acertou nas fragatas, nos patrulhas, nos F-16, nos submarinos, nos carros de combate Leopard A6, nos C-130, nem no que referiu sobre os generais vs soldados.

            As fragatas americanas foram muito bem preteridas relativamente às holandesas. O Estado-Maior da Armada fez o seu trabalho bem feito e a recomendação foi acertada; existem seis C-130 e não um, com 30 anos de bons serviços e sem nunca ter ficado uma missão por fazer; os 39 F-16 não são demasiados, preenchem duas esquadras e juntamente com os P-3P são a força da Força Aérea.

            A sua prontidão é baixa porque estão a ser efectuadas modernizações que custam caro e levam tempo. Não se entende porque é que o Sr. Embaixador os acha dispensáveis. Acaso acha os F-16 da USAF dispensáveis? Ou acaso entende que os EUA têm o direito de vigiar e defender o seu espaço aéreo e Portugal não?

            Quanto aos submarinos não vou perder tempo a explicar evidências, mas talvez se o Sr. Stephenson procurasse saber porque é que o Canadá tem cerca de uma dezena, talvez começasse a entender alguma coisa. Os submarinos e os F-16 são as (quase) únicas armas ofensivas e verdadeiramente dissuasoras que temos.

            Os “Leopard” (37 e não 36), são dos mais modernos que há e vão ser os únicos carros de combate que vamos ter. É o que resta à Cavalaria (e ao Exército) para manter um número de capacidades e saberes nesta área. De facto não há dinheiro para os operar mas isso é porque o Estado Português em vez dos 2% do PIB, gasta apenas 1,3%, como refere o diplomata. Eu também preferia que gastasse os 2%, mas essa é uma opção do governo português, não do americano.

            Aliás os EUA pedem constantemente o reforço da NATO. Os “Leopard” estão incluídos numa unidade destinada a operar sob o comando NATO. Em que é que ficamos?

            Quanto aos Patrulhas estão a ser construídos e já há muito estavam previstos. Tem havido problemas que são conhecidos. As condições do estado do mar da ZEE portuguesa obrigam a navios que aguentem esse mar e a vigilância não se esgota nos patrulhas. Pequenos pormenores que facilmente escapam aos formados em economia…

            Finalmente quanto aos generais que diz termos a mais (e até se deu ao trabalho de fazer rácios com soldados!), diremos apenas que não há generais a mais, mas sim soldados a menos e não vou perder tempo a explicar porquê! E partindo do princípio que o Sr. Embaixador conhece o estatuto da reserva e não o confunde com as “forças de reserva” que existem no seu país, direi apenas que, estando os generais na reforma ganhariam mais, e se a maioria não faz nada é porque felizmente não temos tido conflitos que obriguem a ir buscá-los e os sucessivos governos os têm ostracizado, pois têm ocupado todos os lugares onde estes homens poderiam usar a sua rica experiência, pelas clientelas dos partidos que os sustentam.

            Em súmula, o Sr. Embaixador actuou como a maioria dos seus compatriotas faz: acha-se o centro do mundo e tende a olhar para os outros povos com sobranceria e com uma matriz estado – unidense, sem a menor sensibilidade para entender outras realidades.

            Sim, é natural que Portugal pertencendo à UE, negoceie preferencialmente com os restantes países da União; sim, nós temos consciência das nossas limitações – daí até ao complexo de inferioridade vai um tanto – e, por isso, tentamos obter material moderno para as FAs; sim compreendemos que o Sr. Embaixador gostasse mais que comprássemos ao seu país (mesmo os F-16!) e que possa ter ficado agastado quando o sucessor do ministro Portas, já não se dava tão bem com o Secretário Rumsfeld, mas que diabo permita lá que nós também escolhamos qualquer coisinha. Sabe, o restaurante Tavares – que o Sr. Embaixador seguramente gostava de frequentar – é contemporâneo da Revolução Americana…

            E faça o favor de não nos tornar por lerdos. Às vezes temos gente menos preparada ou cobardolas em altos cargos, é verdade, mas não somos lerdos. Nós sabemos da apetência que os EUA têm sobre os Açores desde, pelo menos, a guerra com a Espanha, em 1898, e que até já prepararam uma invasão, em 1943; que a nossa ZEE e plataforma continental são as únicas que deste lado do Atlântico se podem medir com as vossas.

            Sabemos que temos que ter o máximo cuidado nas “vírgulas” quando intentamos contratos convosco para não sermos ludibriados e não esquecemos que depois de vos termos apoiado lealmente na NATO, na Guerra Fria, e termos até entrado para a ONU a vosso pedido, miseravelmente nos traíram, apoiando o início do terrorismo em Angola e abandonaram-nos quando o execrável Nerhu nos invadiu Goa, Damão e Diu. Isto para não falar da inacreditável tirada de Kissinger, durante o PREC, afirmando que o problema de Portugal se resolvia com 5000 marines…

            Já agora e para finalizar, do que conheço não me parece que os nossos oficiais sejam muito diferentes dos vossos quanto a postura/promoção na carreira. E, se olhar para o que aconteceu entre o general McCristal (seguramente uma excepção), demitido pelo liberalíssimo Obama, perceberá porquê.

            E, senhor embaixador, agora residente numa mansão de luxo em Atherton, Califórnia; quando se quer atirar pedras ao telhado do vizinho, temos que olhar primeiro para o nosso, o senhor como embaixador, não precisava de pedir para recolher o seu avião, numa instalação militar para não ter que pagar taxa de aeroporto!

            Por tudo o que atrás se disse, parece ser de concluir que o Sr. Embaixador foi mal escolhido, estava mal assessorado e mal informado. E isto só quer dizer uma coisa: o governo dos EUA só pode ter Portugal em muito má conta, quando para cá envia um embaixador deste quilate.

            À atenção de quem de direito e… vejam se não ficam sentados!

                                                    *****

            Estavam as notícias do Expresso ainda frescas e já um jornalista da SIC pedia, no telejornal do dia 28/2, ao comentador habitual da estação, o conhecido Miguel Sousa Tavares (MST) para comentar as ditas.

            O homem não se fez rogado e aproveitou o ensejo de forma gulosa.

            De facto, já há muito se sabe que cada vez que se fala em FAs ou militares, S. Ex.ª perturba-se e fica como boi frente a vermelho: investe sem discernimento.

            O “pedregulho” que tem no sapato contra a Instituição Militar, embora certamente não se esgote nisso, ter-lhe-á vindo por via genética através do seu falecido pai, que travou um pleito contra os juízes do Tribunal Militar por causa da atribuição de pensões a antigos agentes da DGS, onde aliás não lhe assistia qualquer razão.

            MST ficou sempre “esquerdo” com a tropa. Desta vez não foi excepção.

            Começou por tecer encómios ao embaixador americano e à diplomacia americana. Aquilo era a sério e estavam muito bem informados! (também foi assim no Iraque, não foi MST?).

            E lá veio com a sacrossanta e contumaz pergunta, velha de 30 anos: que FAs temos e para quê? Devem haver, no país, uns largos milhares de treinadores de bancada e tocadores de rabecão, que têm tantas respostas para isto como cabeças donde saem sentenças.

            MST também demonstra saber umas coisas de lagares de azeite, mas como isso não lhe chega, põe-se em bicos de pés para abordar geopolítica e geoestratégia. A gerência da SIC deve pagar-lhe para ele falar de tudo…

           Sobre as diatribes relativamente a submarinos, F-16, Pandures (meu Deus o que ele sabe sobre Pandures!) e outros “brinquedos caros” – não consta que a guerra alguma vez tenha sido barata – já se respondeu o suficiente a montante. Acrescentamos apenas que os militares estão, há muito, afastados daquilo que apelidou de “negociatas com armamento”.

            Mas vale a pena salientar a contradição em que entrou ao defender, preto no branco, uma intervenção militar – presume-se que do “Ocidente” – contra Kadhafi. Pondo de lado a ligeireza com que se fazem este tipo de afirmações, gostaríamos que MST explicitasse como se faz uma intervenção na Líbia sem o recurso aos tais “brinquedos caros” que condenou. Pensa que se vai lá com “lanchas costeiras de fiscalização”? Ou pensa que isso das intervenções militares é só para os outros e nós estamos dispensados de participar, mesmo pertencendo a várias organizações de defesa colectiva? Ou pensa ainda que mudar de armamentos e equipamentos e aprender a utilizá-los se faz de um dia para o outro? O senhor enxerga-se?

            Por último brindou-nos com este mimo: “os políticos em Portugal têm medo dos militares”; “submetem-se à vontade dos militares” e só se explica “por dívida de gratidão por causa do 25/4”. MST não atina mesmo! Então ainda não percebeu que a realidade do que se tem passado é justamente a oposta? O senhor não percebeu que a classe política (todos eles) por uma razão ou outra, detesta as FAs, não entende e despreza a IM e que quem não tem sabido fazer frente às investidas dos políticos são os militares? Que não existe dívida de gratidão nenhuma, antes pelo contrário? E que os militares acabaram por ficar de mal com todas as franjas da população e com eles próprios, por causa das asneiras então feitas e ainda andam a tentar recuperar (sem grande convicção, diga-se), disso tudo?

            O senhor cuide-se. E não cuide só da substância do que diz. Burile o temperamental que lhe embota a mente e lhe produz tiques e esgares; modere a truculência que lhe afirma a sobranceria e lhe faz roçar a má criação. E se só sabe tocar ferrinhos não tente o rabecão.

            De facto já devia ter havido um general que se levantasse, mas era para lhe dar uma “bengalada”!

 

 

 

                                                                                  João José Brandão Ferreira

                                                                                              TCor/Pilav (Ref.)

 Observação feita por Fonseca dos Santos

 

           Quanto ao MST já não me admiro que tenha essa postura perante as FAs ,pois sofreu bastante quando seu pai foi raptado,juntamente com outro Sr.

Por acaso ,fui eu o instrutor do processo e ,não tendo certezas, apenas tolero ,para não dizer "IGNORO"o MST,mas julgo que já será tempo de deixar de se entregar a criticas ferozes às FAs, mesmo que o motivo tenha sido o rapto de seu pai.

Uma coisa pode ter acerteza ,não foram elementos das FAs...Nessa altura,muita gente USAVA o CAMUFLADO...Não era só exclusivo de militares..pelo menos na altura do PREC....

 

publicado por blogdaportugalidade às 19:56
link | comentar | favorito

A GRANDE MARCHA DA G 12....

                   A MANIFESTAÇÃO DO DIA 12 DE MARÇO

                                                                                                  9/03/11

 

     Corre a notícia, no éter informático, que dos 736 deputados do Parlamento Europeu, 17 são acusados de violência conjugal; 11 emitiram cheques sem provisão; 35 participaram, directa ou indirectamente, em falências fraudulentas; 16 foram a tribunal por delitos diversos, no âmbito do código civil e 32 foram presos por conduzirem embriagados ou por outros delitos de trânsito. Total 111, ou seja, grosso modo, um em cada sete.

      Será que daqui se pode concluir que o sistema eleitoral democrático, existente na Europa é permeável à eleição da “banditagem”para o Poder?

      Dir-se-á, “mas ao menos existe liberdade de expressão e pode-se denunciar o que está mal”. É verdade – embora não seja a verdade toda – mas pergunta-se, a liberdade de expressão como é usada, tem servido para alguma coisa? Quantas malfeitorias e erros denunciados são castigados ou corrigidos? A liberdade de expressão como o direito à manifestação pacifica não tem quase sempre servido como escape e para dar azo a uma pretensa liberdade individual e acalmar consciências, do que para melhorar efectivamente as coisas?

     Clama-se contra os ditadores que existem por esse mundo fora – embora ditador mau é apenas aquele que cai do poder, ou se atreveu a ferir interesses de uma potencia – os cleptocratas de África, etc. Mas qual é a diferença, por ex., para Portugal onde o ordenado de 20% da população não chega a 500 euros e os gestores públicos, por onde passam a quase totalidade de quem exerceu ou vai exercer cargos políticos, nem sabe quanto ganha…

      Qual é a diferença? É por se ter ido a votos? E o que é mais importante, o modo ou a substância?

       Se os cleptocratas, africanos, asiáticos, sul-americanos, etc., fossem eleitos por votos considerados livres (!?) e continuassem a roubar o seu povo, a delapidar as riquezas naturais, a atentar contra os direitos humanos, etc., já estariam desculpados e passavam a respeitáveis?

       Isto, claro, para já não falar nos regimes comunistas que despontaram à força, por todo o mundo – agora restam poucos, mas não desapareceram – em que tiveram o desplante de decretar que o povo estava no poder e era tudo comum e igual. Foi igual a miséria para todos, de facto, menos para os que estavam no poder. E o Despotismo Iluminado comparado com eles era um conto de fadas…

      Vem tudo isto a propósito das projectadas manifestações do dia 12 de Março.

       Pensei apoia-las e participar.

       Passei, entretanto, a pensar se o deveria fazer.

       Não conheço os organizadores da coisa o que, à partida, poderia consignar uma réstia de esperança em cidadãos descomprometidos.

       Depois parecia-me um protesto correcto, contra o modo de actuação da classe politica e a existência de um cada vez maior número de injustiças e barbaridades, de que devíamos ter vergonha e nos vão condenar a uma existência miserável.

       Seria uma manifestação cívica contra o descalabro cívico e moral. A defesa de um futuro melhor para os nossos filhos e netos. Uma afirmação pela Decência!

       Decência nas relações sociais e em prol de que a Politica seja o serviço da “Polis” e não o exercício do saque autorizado, a outorga sistemática da soberania e a desconstrução da Nação dos portugueses.

      Não se iria resolver concretamente nada, nem se pode despedir todos os políticos em simultâneo. Mas poder-se-ia ter algum êxito no arrepiar do caminho em muita coisa. Pelo menos que pensassem duas vezes antes de legislarem ou abrissem a boca.

      E é pela decência que temos que lutar, pois já vimos que corruptos e malandros medram sob a capa de todos os regimes e sistemas políticos. Até de Religiões!

      Aconteceu, porém, o inevitável: o PCP e o BE vão tentar cavalgar a onda, independentemente de ter partido deles ou não, a iniciativa. Talvez o SIS saiba, mas duvido.

      Ora isto, a acontecer, estraga tudo, por três razões: primeiro porque a participação de partidos numa manifestação deste tipo afasta o comum dos cidadãos – pretende-se uma manifestação “inteira”, não “partida”; depois porque os partidos são parte do problema, não são parte da solução, e é por causa do modo como funcionam que chegámos ao que chegámos. Finalmente porque o exercício e a prática dos citados partidos tanto em Portugal como nos seus congéneres estrangeiros são responsáveis por resultados dos mais estarrecedores na história dos povos

      Por isso – e a talhe de foice – se estranha que o Prof. Marcelo no seu pretérito monologo televisivo, tenha felicitado tão efusivamente o PCP pelo seu 90º aniversário.

      De facto, a direcção do partido o que quis impor em Portugal, desde 1921, foi uma ditadura estalinista. Foi combatido de um modo muito mais humano e benévolo em relação aos métodos que preconizava e defendia… Obedeceu sempre, até à queda do muro de Berlim, em1989, auma entidade estranha ao povo português: o Partido Comunista da União Soviética.

       Tentou apoderar-se do Poder em Portugal, pela força e pela intimidação, já depois do golpe de estado ocorrido em 25 de Abril de 1974, que eles muito ajudaram a que se transformasse numa revolução anárquica. Foram um dos principais responsáveis (embora longe de serem os únicos), pelo drama da Descolonização e por se ter entregue, atrabiliariamente, o poder nos ex-territórios portugueses a forças marxistas e apenas a estas. E ao descalabro que daí adveio.

       O 25 de Novembro de 1975 parou-lhes o golpismo à força, mas não os liquidou. Toleraram-nos e permitiram-lhes um ar de respeitabilidade. Herdámos assim problemas para décadas…A título de comparação, os vencedores do 25/11, comportaram-se como os generais ingleses que deixaram partir Junot e o que restava do seu Exército, com armas e bagagens – e tudo o que roubaram. Até forneceram os navios!

       E se hoje o PCP diz aceitar o jogo democrático “burguês”é porque não lhe resta outra alternativa e tem gozado das “amplas liberdades”que sempre foram negadas aos outros, quando um partido comunista esteve no poder em qualquer parte do mundo. E não ouvimos, até hoje, qualquer declaração do Comité Central renunciando à ditadura do proletariado, à conquista revolucionária do poder, à luta de classes e outros mimos semelhantes.

       Dão-se alvíssaras, portanto, a quem conseguir perceber em que é que o Prof. Marcelo se apoia para tão calorosas felicitações.

       O BE ainda consegue ser pior. Menos perigoso, mas pior.

       O Bloco é uma amalgama de trânsfugas de um número indeterminado de ideologias e “istas”falhados, qual deles o pior, o que resulta num nexo caótico cujo fio condutor é o ódio ao que existe.

       A envolver tudo isto temos uma mistura de novos e velhos jacobinismos com herdeiros do Maio de 68, em França, que resultaram na pior liderança politica do último milénio…Esta rapaziada espalhou-se e invadiu todos os partidos, parlamentos e governos dos países ocidentais. Encontraram os cofres cheios e os supermercados repletos e pensaram que tinham o rei na barriga. Renegaram os princípios e valores que tinham criado esta riqueza e bem-estar e trocaram-nos pelo relativismo moral, o multiculturalismo, o consumismo, o individualismo feroz e a cultura do prazer. Desenterraram a teoria do “bom selvagem”, desresponsabilizando os actos anti-sociais e pondo o ónus numa entidade indefinida chamada sociedade.

       Ignorar Deus e o espiritual já não lhes chega, são militantemente contra. Atacam a família (e todas as instituições centenárias), e já quase a destruíram. Enfim isto dava pano para mangas.

       Os partidos do “arco do poder”estão, também, todos coloridos por esta gente. E pior foram infiltrados pelas diversas “maçonarias” existentes e grupos de interesses ligados a negócios. Tudo virou, aliás, negócio, daí serem falhos de princípios, de ideologia e de patriotismo.

        Com a queda do muro de Berlim e sem contrapeso ideológico/militar, a alta finança ocidental começou a desenvolver comportamentos típicos da natureza humana num ambiente “sem peias”, a fim de cevarem os seus apetites gananciosos de poder e dinheiro.

        Começaram por acelerar os poderes de organizações internacionais que ninguém elegeu e que funcionam à margem dos estados nacionais e da ONU (supostamente a sede do Direito Internacional), como são o G-20, aComissão Trilateral e o Grupo de Bilderberg; depois tentaram criar um mercado mundial de comercio (a tal globalização), subtraindo o controlo da economia a cada estado, em favor das grandes companhias multinacionais – originando problemas enormes de emprego e fluxos migratórios. Mas a reacção da China, da Índia e em parte da Rússia começou a destabilizar o sistema (o mundo muçulmano, à parte a “elite” da OPEP, tem ficado de fora deste esquema por razões próprias; veremos como o tumulto que os varre neste momento – e que aparentemente ninguém previu – se vai harmonizar com esta realidade).

        Finalmente desregularam o sistema financeiro de tal forma, que criaram ondas de choque – com origem na Wall Street – que se propagaram em todo o mundo. Tais ondas estão longe de terem parado.

    Alguns dos principais responsáveis por estes actos reputados como criminosos, segundo o filme “Inside Job”, premiado na última edição dos Óscares, foram convidados para o governo dos EUA pelo Presidente….Obama. Esse mesmo, que na campanha eleitoral prometeu que ia pôr a Wall Street na ordem.

     Perante tudo isto, os políticos saídos do tal arco do poder, nada previram, nada viram e nada fizeram. Agora querem que seja a população a pagar.

      Em Portugal não foi diferente, apenas com particularidades próprias.

      Atordoados e inermes depois de PREC louco, perdendo no espaço de ano e meio cerca de 95% do território e 60% da população – e sem nunca, até hoje, se ter tido a coragem de fazer um balanço e medir as consequências que isso teve para o país – a população portuguesa ficou num estado de stress pós traumático!

   Sem lideranças patriotas e maioritariamente internacionalistas, nivelados por baixo, com grande parte das elites emigradas ou presas e envergonhados de sermos descendentes de Gamas, Albuquerques e Cabrais (até isso nos tiraram), o país abandonou-se como barco à deriva, sem motor nem timoneiro, no mar da CEE.

      Fomo-nos autodestruindo e passámos a viver a prazo e de crédito.

      Como pano de fundo de tudo isto implantou-se um sistema político/partidário que vive em guerra civil permanente (ainda sem tiros), encimado por um regime semi-presidencialista, que não é carne nem peixe. Está bloqueado e não se recomenda.

      Numa palavra, desqualificámo-nos e ninguém nos leva a sério. Nem nós próprios.

      Os responsáveis por tudo isto somos todos, é certo, mas alguns são mais do que outros.

    Mas desses que são mais responsáveis ainda não veio ninguém dizer que se enganou e ninguém pediu desculpa. E o mais incrível é que ninguém dos responsáveis quer dar o exemplo nos sacrifícios que está a impor como canga a toda a Nação, ficando as principais clientelas politicas de fora!

     A vergonha próxima da nossa desqualificação como nação (já nem é o estado), vai dar-se no próximo festival da canção, em Berlim, com a representação que lá elegemos levar. Isto de eleições teve sempre os seus perigos…

      Era para protestar contra todo este tipo de comportamentos que eu gostava de me manifestar no próximo dia 12. Pela tal decência que tem que andar associada a vergonha na cara.

      Como fazer então se, aparentemente, não é isso que vai acontecer e, ainda por cima as pessoas que eventualmente partilhassem desta motivação, vão ficar no conforto da lareira?

      Tudo pesado, decido ir.

      Irei sozinho ou com familiares. Não corro o perigo de me confundir com outrem; não hostilizarei coisa alguma ou alguém. Não levo bandeiras nem palavras de ordem; o silêncio será o meu protesto. Pela decência.

   Não me misturarei com quem defenda coisas com que não me identifico, mas terei com todos a solidariedade de compatriota. Somos todos portugueses e essa é a base comum e alargada que nos deve unir.

    O “palco” não pode, nem deve, ser ocupado sempre pelos mesmos e ninguém tem de abdicar das suas convicções, ou sentir-se intimidado.

    O futuro envolve-nos a todos e vai ter que ser percorrido por todos.

 

 

                                            João José Brandão Ferreira

                                            Cidadão eleitor nºB-10614

 

       

publicado por blogdaportugalidade às 19:40
link | comentar | favorito
Quarta-feira, 9 de Março de 2011

Mas o mais GRAVE é esconder e CENSURAR:::Será que voltamos à ditadura ???O que dizem disto a classe politica da gamela actual???

publicado por blogdaportugalidade às 22:36
link | comentar | favorito

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Agosto 2020

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
19
20
21
22

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. ...

. RUI PINTO

. REFLEXÕES SOBRE O SISTEMA...

. ...

. NINGUÉM SE PREOCUPA CO...

. ESBANJAMENTO DE DINHEI...

. E ASSIM SE VAI VE...

. LER PORTAGENS NAS SCUTS,...

. UMA CARTA DE RUY DE CA...

. MOVIMENTO CONTRA O NAO : ...

.arquivos

. Agosto 2020

. Setembro 2019

. Março 2019

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.favorito

. AH....GRANDE VINTE E CIN...

. As novas oportunidades

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds

Em destaque no SAPO Blogs
pub