Quinta-feira, 8 de Setembro de 2011

CARTA DE UM AGENTE DE AUTORIDADE...do Estado português

Carta de um Agente da PSP

 

Quinta-feira, 1 de Setembro de 2011

Partilha-se a seguinte carta, desconhecendo a sua autoria...

"Sr. Primeiro-Ministro

Sr. Ministro de Estado e das Finanças

Sr. Ministro da Administração Interna

Exmo.(s). Senhor(es).

Na qualidade de cidadão português e na qualidade de profissional que pertence aos quadros da Polícia de Segurança Pública, nobre instituição centenária, garante da segurança de pessoas e bens e um dos pilares da democracia e do estado de direito;

Venho por esta via, dirigir-me a V/Ex.ª, dada a realidade política, social e a minha condição sócio-profissional que atingiram proporções inimagináveis.

Sou agente da Polícia de Segurança Pública desde 2000, entrei para esta instituição com espírito de dever e desde dessa data, desenvolvo as minhas funções com profissionalismo e dedicação. Mas também entrei com uma legítima perspectiva de carreira e de estatuto profissional.

Desde a data que me encontro na instituição P.S.P.,passaram vários governos, vários ministros, vários responsáveis, aplicaram-se vários modelos, várias políticas, várias alterações, mas todas com um denominador comum, reflexos negativos do ponto de vista profissional e consequentemente reflectidos no aspecto motivacional, o que aliado às políticas gerais, provocaram também reflexos em termos sociais.

Durante os onze anos que me ligam à instituição P.S.P, investi num curso superior, em diversas formações internas e externas, para valorização pessoal, mas também profissional.

Estes onze anos que me ligam à P.S.P ficam marcados por congelamentos, por cortes, por limitações, por alterações de regras, com a implementação de regras penalizadoras, em promoções e progressões, que culminou numa perspectiva de carreira totalmente gorada.

Neste mesmo período, as condições de trabalho pioraram, em instalações, em meios, em viaturas, em higiene e segurança no trabalho que nesta instituição nem tão pouco existe.

Encontro-me inserido numa instituição onde o mérito não é valorizado, onde a dedicação não é reconhecida, onde a formação de nada serve, onde as qualidades não são aproveitadas, onde não existe um modelo uniforme de trabalho, onde as leis não são cumpridas, onde impera a teoria da superioridade “artificial”, onde a comunicação interna é adulterada, onde os níveis de responsabilidade são aplicados desproporcionalmente, onde os regulamentos são aplicados mediante pessoas ou interesses, onde ninguém assume responsabilidades, onde não há “líderes”.

A P.S.P. é uma instituição sem estratégia, sem uma visão de futuro, que vive apenas o dia-a-dia, é uma instituição desprovida de camaradagem, refém do poder político.

Direi ainda que é o reflexo da sociedade portuguesa ao momento.

Nestes onze anos, vi as exigências de serviço aumentarem, vi a prática do crime mais sofisticada e perigosa, vi uma desvalorização da minha profissão, vi um poder judicial que demonstra não conhecer o trabalho

operacional, vi governos que encaram a segurança interna com objectivos meramente produtivos, criando modelos de repressão rodoviária, com intuitos contra-ordenacionais.

Nestes onze anos, vi o custo de vida aumentar, vi para os polícias e pessoas que vivem do rendimento de trabalho, cortes e mais cortes, vi sectores da sociedade com aumentos brutais de lucros e rendimentos, vi injustiças sociais e sacrifícios muito mal distribuídos.

Em termos profissionais e pessoais, constato que o actual governo, prossegue com a mesma prática política, os mesmos modelos de sempre, inclusive anulando um estatuto profissional e o seu conteúdo por razões orçamentais, congelando uma vez mais o meu ordenado, congelando possíveis concursos, colocando-me estagnado e barrado em termos de carreira, onde me encontro desde 2005, retirando metade do subsídio de natal, retirando-me percentagens no meu ordenado e suplementos.

Por tudo isto, demonstro respeitosamente, a minha profunda desilusão, desânimo e desmotivação, por ter sido mal tratado pelos sucessivos governos do meu país e por continuar a ser.

Respeitosamente."

 

Parte superior do formulário

(Esta carta encontra-se na página do Facebook do Corpo de Intervenção PSP – “Notas”)

 

publicado por blogdaportugalidade às 15:36
link do post | comentar | favorito
|

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Junho 2013

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14

19
20
21
22

24
26
27
29

30


.posts recentes

. NINGUÉM SE PREOCUPA CO...

. ESBANJAMENTO DE DINHEI...

. E ASSIM SE VAI VE...

. LER PORTAGENS NAS SCUTS,...

. UMA CARTA DE RUY DE CA...

. MOVIMENTO CONTRA O NAO : ...

. UMA CARTA AO SR (SENHO...

. CONGRESSO DEMOCRÁTICO DAS...

. AFINAL ,QUEM É O SINDI...

. PARA TODOS OS PORTUGUESES...

.arquivos

. Junho 2013

. Maio 2013

. Abril 2013

. Março 2013

. Fevereiro 2013

. Janeiro 2013

. Novembro 2012

. Outubro 2012

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Junho 2012

. Maio 2012

. Abril 2012

. Março 2012

. Fevereiro 2012

. Novembro 2011

. Outubro 2011

. Setembro 2011

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

. Dezembro 2010

. Novembro 2010

. Outubro 2010

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Agosto 2009

. Julho 2009

. Junho 2009

. Maio 2009

. Abril 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Outubro 2008

. Setembro 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

.favorito

. AH....GRANDE VINTE E CIN...

. As novas oportunidades

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds